Patrocinado

A arte da simplicidade

IED apresenta
11 de setembro de 2018
IED

Por Victor Falasca Megido, diretor-geral do IED Brasil

Fazer, trabalhar e agir com o coletivo é difícil. Falo de agir de verdade com o outro, não com as próprias certezas. Agir com empatia é mais desafiador, porém necessário.

Trago estas reflexões a partir de nossa participação no CONARH, o maior congresso nacional sobre gestão de pessoas para o qual levamos o tema do Design Thinking.

A confiança é a base dessa cumplicidade. É como dar as mãos, contar até três e pular de uma cachoeira juntos. Ou ainda, saltar de paraquedas em grupo e unir-se aos outros em plena queda livre.

Simples x fácil
O simples e o fácil são diferentes. Fazer o simples funcionar não é fácil. Os fundamentos são os assets primordiais do bom êxito. Devemos voltar a olhar o simples. No futebol, ao treinar todos os dias, cabecear uma bola é algo simples, mas pode ser muito difícil em uma final de copa do mundo. Renovar as convicções a todo momento ajuda muito na hora em que o simples fará a diferença no placar.

Fator humano
Sinto que a maioria das organizações se perde em estratégias e planejamentos complexos e que dependem de muitas variáveis. No papel, são projetos belíssimos, tecnicamente perfeitos. No entanto, na realidade prática, esbarram no fator humano. São as pessoas que transformam ideias em realizações. Gerenciar organizações é, mais que tudo, envolver pessoas. Só tem um modo de fazer: olho no olho, respeito e confiança.

Engajamento
Conversem com as pessoas que vocês gerenciam, supervisionam e orientam. O papel primordial dos gestores é dialogar e esclarecer para que todos olhem na mesma direção e o esforço seja todo direcionado aos mesmos objetivos. Mandar fazer sem engajar perdeu o sentido. As pessoas desejam fazer parte de um mesmo projeto, com um mesmo propósito em que acreditem. Isso dá sentido ao que fazemos todos os dias.

Concluo a conversa falando, mais uma vez, da simplicidade. Ela é uma arte. E, como toda a arte, necessita prática diária e treinamento do olhar. Minha recomendação para todos é fazer o SIMPLES bem feito, caprichado, com gosto, com esmero. Daí a importância do trabalho coletivo. A maioria dos grandes cases de sucessos se baseia sempre em uma ideia muito bem executada. Só dá para sofisticar quando os fundamentos funcionam.

Um, dois, três. Salte! A adrenalina é inevitável… E gols de bicicleta virão!

Compartilhe nas redes sociais!